quarta-feira, junho 28, 2006

‘Cá dentro, um sinal…’


Escutei um dia aquela voz
Cuja vibração me acolhia.
E então fui saber,
Se podia,
Aquela voz que me acolhia
Apagar eternamente
Aquele tormento
Que sobre mim recaía.
E assim,
A escuridão que existia
Mas que parecia não sumir
Depressa,
E apenas num só dia
Começou a sair
De dentro de mim.

Então suspirei
E perguntei
De onde vinha aquela voz,
Que um dia senti
E me confortou.
E num instante apagou
Aquela inquietação
Presente no meu coração.

Mas foi então que percebi
E compreendi
Que aquela voz
Que um dia me sorriu
E aplaudiu
Tinha estado sempre aqui,
Dentro de mim.

É um sinal que se fez
E está presente.
É uma força que não vês
Porque parece ausente.
É virtude de quem busca a vida
E não se cansa.
Sempre erguida,
Irradia esperança!

sábado, junho 24, 2006

Mar



Escuto aquele silêncio insistente
Que num esbater de ondas é quebrado.
E fui sonhar
Relembrar
A substância misteriosa
Escondida naquela harmoniosa
Cantiga indefinida
Que os homens respiram
Saúdam
Contemplam:
Sois profundo e intenso
Infinitamente enigmático.
Porque em ti todos os segredos se escondem
Porque os guardas
Não os desvendas…

É para ti que me dirijo,
Se a nostalgia me invadiu.
É para ti que me viro,
Se uma inquietação me consumiu:
Sois um fascínio
Somente beleza
Porque existes,
Com certeza.
Sois a mistura de um abrigo
Entrelaçado infindavelmente
Numa força resistente.
Sois vida,
Sois natureza!
=)


* Joãozinho, vai fazer o diariozinho de preventiva!

Nothing In My Way (Live)
By Keane
BestVideoCodes.com

sexta-feira, junho 23, 2006

T e n h o v o n t a d e de ( m e ) v o m i t a r.

sexta-feira, junho 09, 2006

segunda-feira, junho 05, 2006

- Oi! Tudo bem?
Sim.

domingo, junho 04, 2006

por isso é que, fartos de dores que vêm e voltam, e em dias em que o nevoeiro teima em não levantar, pegamos em telefones, falamos, combinamos idas e passeios. tudo com datas, horas e minutos marcados com precisão, tanto da partida como da chegada. mesmo que sejam só escutados e nunca cumpridos, deu para rir e para chorar acompanhado.
Só as acções têm o poder de alterar o que sentimos. nem o que pensamos, nem as palavras (essas só aliviam a dor por um curto tempo, pois iludem a mente).
mas o blog serve para isso mesmo: para "entreter" e pouco mais. tão 'pouco mais' que pouco ou nada se escreve ou diz. doi sem 'a'.
eles gostam de hábitos, de rotinas, de não pensar sobre isso. até ao extremo. até ao fundo pesado e escuro de chorar sem perceber já o porquê de continuar desta forma. Mas porque quando tiver de mudar mudará, assim continuam. à espera que mude, a aproveitar o que se pode fazer deste sítio.. esquecer o triste, enganarmo-nos, ver os sonhos, as estrelas, entreter os segundos. um passo mais que isto e já "doia". se calhar nem há assim tanto que se possa fazer para sair daqui, quem saberá.

sexta-feira, junho 02, 2006

eles ficavam parados. doia muito quando algum segmento corporal desafiava a força da gravidade. só o tempo lhes tocava. procuravam sorrisos no céu. mas estava escuro. e frio.

quinta-feira, junho 01, 2006

Agora vou esconder-me ali atrás de uma mesa e ficar caladinha.

Até mais.
Assim sendo, acho que vou continuar a fazer bolinhas de sabão.

Mes pieds

Acho que eles se esqueceram de mim

(ou então foi outra coisa)