domingo, novembro 12, 2006

… No dia amarelo pela estrela ácida, rodaste a forma do sentir e seguiste-me pelo meu outro lado. Disseste ‘vamos’ e, do centro desse poema, saiu este grito-vómito que me trouxe ao fora, a lembrar os sorrisos que ainda nos esperam.

… Ao grito-vómito, que sempre acrescenta algo de bonito.

Aos 365 dias do nosso blog.

Às mãos que o tornam e lhe (re)tornam.

Sem comentários: